quinta-feira, 6 de maio de 2010

A História, As Características, As Doenças, Peso, Tamanho, etc...

História¹

Apesar do seu nome comum, o porquinho-da-Índia não é suíno, nem tampouco indiano. O nome deve-se ao fato de originalmente provirem das chamadas "Índias Ocidentais", onde alguns povos ameríndios, no período da colonização, os criavam para deles se alimentarem.




Os europeus tomaram contato com o animal desde o século XVI, ao atingirem os dominios do Império Inca. O animal era denominado pelos indígenas como "Cuí", por causa dos gritos curtos que emite, tendo-o adotado como mascote.



Ao chegarem à Espanha, os porquinhos-da-índia tornaram-se moda, vindo a espalhar-se por toda a Europa como animais de estimação.



Com relação ao seu nome em língua inglesa, "guinea pig", existem duas teorias:



a de que as embarcações inglesas por fazerem escala na costa da Guiné, deram às pessoas a ideia de que os animais eram originários daquela região (e não da costa pacífica sul-americana); e

ao preço cobrado pelos marinheiros ingleses pelos animais, um guinéu, moeda de ouro utilizada à época.

Desde o século XIX estes roedores vem sendo utilizados em estudos experimentais de laboratório, por isso são também conhecidos pelo nome de cobaias, termo que, por vezes, também é utilizado para designar os hamsters.

História²
 
Um erro de navegação é o responsável pelo nome Porquinho-da-Índia.




No século XVI, quando os navegadores espanhóis buscavam um novo caminho para as Índias, em busca de especiarias, aportaram por engano em terras sul-americanas, mais exatamente no atual Peru.



Após provarem "churrascos" de um certo animalzinho que os nativos conheciam por Cuí

(e assim o chamam até hoje por causa dos seus gritos curtos, semelhantes ao som emitido pelos porcos), simpatizaram com ele e o adotaram como mascote.



Voltaram para o velho continente com vários deles nas malas e um nome equivocado: Porquinho-da-Índia.



Logo após a chegada à Espanha, os "Porquinhos-da-Índia" peruanos se transformaram em moda e se espalharam por toda a Europa e o "Novo Mundo", não mais como alimentação, como eram e ainda são utilizados no Peru, mas como animais de estimação.



Michael Schleissner, um aficcionado criador alemão de Porquinhos há 32 anos, esclarece:

"Existe uma teoria de que tal nome lhe foi atribuído porque os navegantes (agora ingleses), ao retornarem da América do Sul trazendo o mascote predileto da Europa, paravam na Guiné, um país da costa africana. Ao saber da parada, as pessoas achavam que o bichinho vinha da Guiné, e não do Peru. E ele continua: "Outros atribuem o nome Porco-da-Guiné ao preço que era cobrado pelos marinheiros ingleses pelos bichinhos, um Guinea, uma moeda de ouro muito utilizada na época".


O Porquinho da Índia é um excelente companheiro, você que gosta de animais, vai demorar muito, muito mesmo para se cansar deles, os meu até agora não comecei a enjoar nem um pouco. Este curioso roedor e companheiro das crianças é uma ótima opção de animal de estimação. Com um temperamento sociável e de fácil manejo, o Porquinho-da-Índia é um pet que tem sucesso garantido. Em relação a outros roedores, o Porquinho-da-Índia leva vantagem por ser mais lento e portanto mais fácil de ser encontrado e apanhado. Embora aprecie uma sonequinha, o porquinho sempre estará disposto a um passeio ou brincadeira. Ele se adapta bem ao ser humano se acostumado desde pequeno, aceitando bem o cativeiro. Raramente morde, a não ser que se sinta ameaçado. O Porquinho-da-Índia se alimenta com comida de coelho em pelotas (peletizada), feno, ou capim, legumes (EXCETO ALFACE, QUE PODE CAUSAR DIARRÉIA E ATÉ MORTE) e frutas frescas. Brócolis e couve-flor são legumes maravilhosos por causa da alta quantidade de vitamina C. Comidas novas devem ser apresentadas aos poucos, uma de cada vez, para se ter certeza que o porquinho não terá uma reação ruim a elas. O macho chega a pesar entre 1 kg e 1,2 kg e a medir 25 cm quando adulto. Já as fêmeas são mais leves, com aproximadamente 20 cm de comprimento e entre 800 e 900 g de peso. O Porquinho-da-Índia vive, em média, quatro anos. Para o primeiro acasalamento, se recomenda que o macho tenha de três a quatro meses e as fêmeas de três a sete meses. Jamais depois de sete meses. O período de gestação é de 59 a 72 dias, sendo a média de 62 dias. A fêmea do Porquinho-da-Índia tem, em média, de dois a três filhotes. O tamanho ao nascer é de 7,62cm. A idade ideal para o desmame é de 3 semanas.

NOME COMUM: Preá ou porquinho da índia


NOME CIENTÍFICO: Cavia aperea

ORDEM: Rodentia

NOME EM INGLÊS: guinea pigs

FAMÍLIA: Cavidae

GÊNERO: Cavia

ESPÉCIE:

Cavia porcellus

Cavia aperea

Cavia cobaio

PESO AO NASCER: 75 a 100 gramas

TAMANHO: de 25 a 30 cm quando adultos.

PESO ADULTO: variando entre 800 g e 1,5 Kg.

ORIGEM: regiões sul e sudeste do Brasil, Argentina e Paraguai.

HÁBITOS: basicamente noturnos.


Características

maturidade sexual ....................55 a 90 dias

período de gestação ................59 a 75 dias (média 68 dias)

ciclo menstrual ........................12 a 18 dias

duração do cio ........................6 a 11 dias

retorno do cio pós-parto .........6 a 8 dias

época de cruzamento ..............ano todo

idade mínima para acasalamento .....3 meses

peso no nascimento ................60 a 100 gramas

peso do adulto .......................500 a 600 gramas

peso máximo alcançado .........1,5 kg

tamanho quando adulto ..........25 a 30 cm

quantidade de crias por ninhada ...........média 2 a 6
                                                  (em casos raros podem vir 8 ou +)
idade de desmama ................14 a 21 dias

início da alimentação sólida ...................1 a 5 dias

vida útil da fêmea ...................2 a 4 anos

vida útil do macho ..................4 anos

freqüência respiratória ............69 a 104 por minuto

batimentos cardíacos ..............260 a 400 por minuto

média de pressão sangüínea ....81 a 90 mm

temperatura corporal ..............38,5º C

leucócitos ...............................10.000/mm3

hemáceas ...............................4,5 a 7 milhões por mm3

hematócrito ............................42%

hemoglobina ...........................12,35%

Alimentação


A alimentação desses animais é constituída basicamente de verduras, capins, raízes, sementes, tubérculos, Alcon Club Roedores - Alimento Extrusado e Alcon Club Roedores - Frutas e Legumes . É importante fazer a suplementação vitamínica com Labcon Roevit .

DOENÇAS


Os porquinhos-da-índia são animais resistentes às doenças porém, é muito importante fazer exame periódico verificando o aspecto e a sanidade dos animais. Muitas das doenças provem do manejo errado: da falta de higiene nos alojamentos, superpopulação, ambientes com pouca ventilação ou temperaturas elevadas, correntes de ar e ainda alimentação inadequada. A melhor prevenção é conservando as instalações limpas, bem ventiladas e fazer a verificação periódica nos animais, afastando também certos males como piolho, sarna e vermes. Não esquecer de colocar em quarentena qualquer novo animal introduzido na criação e manter uma alimentação fresca e balanceada. Normalmente quando o animal está doente ele se torna triste e seus pêlos ficam secos e arrepiados. Dentre as enfermidades que podem eventualmente aparecer numa criação estão as seguintes:

BACTERIANAS

1 - Salmonelose: produzida pela Salmonella thyphimurium (a mais comum, ainda que também por outros tipos de Salmonella com sintomatologia muito similar). É uma enfermidade que se difunde rapidamente produzindo alta mortalidade, principalmente para os animais em crescimento. É provavelmente a mais letal de todas as enfermidades dos porquinhos-da-índia.

2 - Pseudo tuberculose: Produzida pela P. pseudo tuberculosis. É uma enfermidade crônica caracterizada por nódulos sebosos, especialmente nódulos linfáticos e vísceras. Geralmente é contraída pela boca. As lesões individuais iniciam-se com pequenos focos necróticos que vão aumentando de tamanho até sobressaírem na superfície do órgão ou glândula e quando cortados apresentam um pus fluido, espesso e cremoso.

3 - Pneumonia: Enfermidade respiratória causada por bactérias, provavelmente a mais comum, principalmente em se tratando dos porquinhos-da-índia de laboratório. Produzida pela Klebsilla pneumaniae, Pasteurella Multocida, Bordetella bronchiseptica, Streptococcus pyogenes e pneumonice. Os sintomas são espirros, olhos lacrimejantes, tosse, além do decaimento do animal. É uma enfermidade contagiosa, sendo necessária a separação dos animais afetados e às vezes até a destruição da colônia e um recomeço com um novo grupo de animais.

4 - Abscessos subcutâneos: Enfermidades também comuns nos porquinhos-da-índia, causadas por qualquer um dos variados gêneros de bactérias. 5 - Linfoadenite cervical: Também bastante comum, é causada pelo Streptobacillus moniliformes ou Streptococcus.

VIRAIS

1 - Adenite Salival: Inflamação e irritação das glândulas salivares, também conhecida como parotidite. A enfermidade é simples e o animal se recupera completamente entre 7 e 14 dias.

2 - Coreomeningite: Raramente ocorre em porquinhos-da-índia.

3 - Paralisia Infecciosa: Debilidade e paralisia gradual das extremidades, especialmente dos membros traseiros, podendo-se também paralisar a bexiga.

4 - Miosite Infecciosa: Inflamação e edema nas patas traseiras. Não se sabe ao certo qual o vírus que a produz, podendo ser de origem dietética ou hereditária.

PARASITÁRIAS

Nos porquinhos-da-índia é muito difícil o aparecimento de parasitos internos, mesmo para os animais domésticos, geralmente criados no chão. Já os ectoparasitos, ou seja, parasitos externos, são encontrados com facilidade inclusive em animais de laboratório.

ENTRE OS MAIS COMUNS ESTÃO:

1 - Piolhos - Vivem sobre as escamas da pele, causando irritações consideráveis. Geralmente aglomeram-se ao redor das orelhas e ocasionam áreas peladas em conseqüência das picadas. É muito difícil a eliminação completa dos piolhos, mas são controlados através de submersão e pulverização com inseticidas apropriados.

2 - Ácaros e insetos: Os animais criados em laboratórios raramente são infestados por ácaros. Porém quando a criação é doméstica os porquinhos-da-índia estão mais propensos ao ataque dos parasitas. O controle é fácil e realizado através de submersão e pulverização em solução sarnicida e inseticida, as quais, se usadas em dosagem correta, não provocam nenhum tipo de toxidade aos animais.

CAUSADAS POR PROTOZOÁRIOS

1 - Coccideose: Os protozoários vivem no intestino e aí se reproduzem com velocidade, matando células epiteliais e deixando uma superfície ulcerada, inchada e sangrando, não permitindo que o intestino funcione normalmente.

Os animais recuperados normalmente são imunes, mas são portadores e a transmissão se dá pelas fezes de outros animais da mesma espécie.

CAUSADOS POR FUNGOS

1 - Mucormicose: Um mofo concentrado sobre o feno e ferragem. Os únicos sintomas geralmente observados são causados por infecção dos nódulos linfáticos do mesentério pelo fungo, dando origem a uma grande massa benigna no abdome.

CARÊNCIAS

1 - Escorbuto: é a deficiência da Vitamina C. O escorbuto provoca um transtorno no tecido conjuntivo produzindo hemorragias, especialmente ao redor das costelas e articulações, assim como rigidez nas partes traseiras com inflamação e hemorragia na planta das patas. Os principais sintomas são dificuldade para andar, perda de peso constante e pêlo sem brilho. Com o tempo aparecem articulações inflamadas e gengivas sangrando ao redor dos dentes soltos.

Reprodução

Com dois a três meses de idade esse animal já está apto a se reproduzir, por isso, é conveniente separar os sexos na época da desmama, ou sempre deixar eles juntos. Para o macho, o ideal é iniciar a idade reprodutiva com 3 ou 4 meses de idade e para a fêmea a partir dos 3,4 ou 5 meses.




O cio do porquinho-da-índia dura entre seis e onze dias. Quando ocorre o cruzamento, a fêmea entrará num período de gestação média de 68 dias. Quando os filhotes nascem (média de 2 a 3), a fêmea pode novamente entrar no cio em seis a oito horas após o parto. No período de gestação é muito importante tomar cuidado com as fêmeas, evitando o seu manuseio. Pode ocorrer ocasionalmente partos prematuros onde a fêmea venha a perder parte ou todos os filhotes. Isto pode ocorrer por vários fatores, veja a seguir alguns deles:



número grande de animais na mesma gaiola;

manipular muitas fêmeas gestantes;

mudanças bruscas de temperatura;

obesidade ou fraqueza;

brigas, sustos ou transportes longos;

cruzar fêmeas muito jovens;

freqüência demasiada no acasalamento.

Outro fator importante na reprodução é a alimentação, que deve ser racional e de acordo com as necessidades das fêmeas gestantes.

Filhotes

O período de amamentação varia entre dez a vinte dias e a desmama se dá entre catorze e vinte e um dias.




Se avaliarmos que uma fêmea possui apenas duas mamas abdominais, quando o número de crias é de dois, três ou quatro, a desmama pode dar-se aos vinte dias, mas se o número de filhotes dor maior, é conveniente deixá-los com a mãe até mais ou menos trinta dias. Mas, é importante não ultrapassar este tempo, pois nessa idade os dentes dos filhotes já estão em desenvolvimento, podendo machucar as mamas da mãe.



Os filhotes nascem, em média, com 75 a 100 gramas e quando são desmamados pesam entre 200 e 250 gramas. Com oito ou nove meses eles alcançam seu completo desenvolvimento atingindo 500 a 600 gramas. Quando os animais são selecionados podem chegar até 1,5 kg.



Esta rapidez no crescimento é explicada principalmente pela riqueza do leite que é rico em proteínas e gorduras. Além do leite, os filhotes com apenas três dias de vida já se alimentam a base de vegetais, ricos em vitamina C.

Me desculpem pela repetição de assuntos, boa sorte com os seus Porquinhos.

Matheus Moraes De Lima

4 comentários:

  1. Ola,eu vou ganhar um porquinhoda india amaha e presciso das informasoes do seu site,pode me sedelas com ursengencia ate amanha?
    agradeço des de ja

    ResponderExcluir
  2. oi,desculpa,nao esperei nem sua resposta e usei suas informasoes,mas calma,nao foi para postar no meu blog(que por acaso eu nao tenho)eu tenho 9 anos e estava desesperada,espero que me perdoe.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, desculpe-me, mas não vi seu comentário, percebi apenas agora, meu messenger é: monsterbattle@hotmail.com e se não quiser me adicionar, basta apenas comentar as suas duvidas no blog que responderei o mais breve possível!

    PESSO DESCULPAS POR NÃO TER NOTADO SEU COMENTÁRIO!

    Respondido por -> Matheus

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, meu e-mail agora é outro, caso queira me adicionar para conversar e trocar ideias sobre o seu porquinho da índia, meu e-mail é: lacto@hotmail.com.br

    ResponderExcluir